Fim de ano

21:50

            Primeiramente quero desejar feliz natal pra todo mundo. Ok, sei que o natal foi ontem mas nos últimos dois dias passei todo o tempo possível com a minha família e não consegui vir publicar essa mensagem. Enfim... Tenho mais coisas a compartilhar!

Imagem: Google

          Apesar de toda a correria desse 2015 e de tudo que aconteceu (que não foi pouco e nem fácil), tenho que agradecer por este ano. Tenho saúde, uma família incrível, amigos fodas, nada me falta e continuo a minha caminhada, mesmo que aos trancos e barrancos. Essas dificuldades e todas as variações deste ano me fizeram perceber que a força que tenho e que vem se construindo em mim ao longo da vida é muito grande e maior que posso imaginar. Cada vez que me senti para baixo, consegui me levantar. Cada vez que tive uma dificuldade, tive força para resolver. Cada vez que me senti sozinha, tive pessoas maravilhosas comigo. Quando de fato estive sozinha, aprendi a me conhecer melhor e a não ter medo de caminhar sozinha. Na verdade, nesse último ano, aprendi muito a gostar da minha própria companhia. Viajei sozinha, andei por locais desconhecidos, conheci cidades novas, explorei novos caminhos... tudo isso comigo mesma. E foi incrível!
            Fiquei apreensiva quanto a minha saúde algumas vezes, mas tudo foi esclarecido e tô trabalhando para meu bem estar aos poucos. Tive variações de humor, senti várias dores, sofri e tive medo frequentemente. Apesar disso, parei de ter medo de sentir dor, foram tantas vezes (física ou sentimental)! Comecei o ano sem usar óculos, agora uso -ou deveria- a maior parte do tempo. Notei algumas diferenças no meu corpo, e lutei para amá-lo e me amar na maior parte do tempo. Decidi furar minha orelha de novo. Finalmente fiz uma tatuagem. As responsabilidades aumentaram. Precisei em alguns momentos ser forte por mim e também pelos outros. Decidi deixar algumas coisas para trás, e de fato consegui. Cada vez que eu pensava estar tudo se resolvendo, a vida me dava alguns solavancos (alguns bem fortes, confesso) e me fazia perceber que nada fica bem por muito tempo. Mas ao mesmo tempo nenhum mal também é para sempre. Consegui ser firme diante de algumas coisas que muito me machucaram ao longo da vida e descobri que essas feridas sempre vão doer um pouco, mas que eu vou conseguir trabalhar para cicatriza-las da melhor forma possível e fazer com que não seja uma dor paralisante. Tentaram me derrubar algumas vezes, outras (muitas) a responsável fui eu mesma, nessas vezes tomei escorregões e tropeços que me machucaram, mas consegui me recuperar e ficar de pé. Quase desisti, quase cai... quase! E ainda bem que não aconteceu! Tudo isso vem me ensinando tanto sobre meus limites, sobre minha existência e sobre as possibilidades que construo no caminho, sobre até o "mal" vir para ensinar algo de bom.
          Tá longe de terminar, sei que ainda vou ter muitos anos tão difíceis (ou até mais) que 2015, mas uma coisa tenho certeza: não vou desistir, seja lá o que eu estiver buscando! E este ano me ensinou infinitamente sobre mim. Sou e sempre serei infinitamente grata a isso!
          Desejo a todos um 2016 melhor que este ano foi, que exista sempre força pra recomeçar, pra retomar e rever as possibilidades da vida. E a fé, seja na vida, na natureza, na caminhada, em Deus, ou no bem... Que esta fé seja sempre seu guia e lamparina pros momentos difíceis e escuros, e seu agradecimento quando tudo estiver bem. Força e tudo de bom para nós daqui pra frente!
          Com carinho,
               Giullie.





You Might Also Like

0 comentários

Instagram

Pinterest